Era Flávio Dino: aumento da pobreza e falta de saneamento básico

Gestão Flávio Dino termina em 6 meses e deixa um legado: aumento da pobreza e falta de saneamento básico

O Maranhão na gestão Flávio Dino (PSB), que termina daqui há 6 meses, deixa mais um legado desastroso para os maranhenses, que além do aumento da fome e miséria no estado, fica também sem as mínimas condições básicas de saneamento ambiental. Apenas 11% da população maranhense tem tratamento de esgotamento sanitário.

Estudo do Instituto Trata Brasil neste ano de 2021, em parceria com entidades do setor, autoridades, empresas operadoras e ONGs para aperfeiçoar a metodologia do Ranking.  Desta vez, foram consultadas mais de 20 entidades em três meses de reuniões e consultas. Entre os consultados, se ouviu técnicos da Agência Nacional de Águas – ANA, Ministério do Desenvolvimento Regional e até do Ministério da Saúde. No final, não deu outra, o estado do Maranhão tem o pior saneamento básico do Brasil.

E sem saneamento, mais maranhenses adoecem e morrem por causa de falta do básico, e a prioridade do governo Flávio Dino, nestes quase oito anos de gestão foi jogar asfalto eleitoreiro e construir praças para o povo ver – o saneamento básico, que ninguém ver e é extremamente necessário não foi feito nada.

A Companhia de Saneamento Ambiental – CAEMA tem uma gestão sucateada e seu ex-diretor, investigado por corrupção teve que deixar o órgão. No lugar dele assumiu um servidor de carreira do órgão e não mudou a triste realidade no estado.

Mais asfalto, menos saneamento

A conta é simples, a gestão Flávio Dino priorizou jogar asfalto em várias localidades do estado, e à medida em que se jogava mais asfalto, menos saneamento básico para os municípios.

Não é falta de dinheiro

Os maranhenses pagam além do consumo do líquido precioso, nas contas de água ainda vem o mesmo valor na Taxa de Esgoto, além do ICMS e demais impostos, portanto, falta de dinheiro não é, o que faltou mesmo foi gestão do dinheiro público.

Triste final de gestão 

Sem muito para mostrar, o governo Flávio Dino termina como uma gestão pífia e falida que aumentou impostos, endividou o estado com empréstimos, aumento a pobreza dos maranhenses e para fechar a conta este triste relatório do Instituto Trata Brasil.

One Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Publicidade