Operação da Polícia Federal contra Ciro Gomes faz busca e apreensão em empresa de São Luís

Investigadores apuram indícios de pagamentos de R$ 11 milhões em propinas para beneficiar a empresa Galvão Engenharia

Na operação Colosseum deflagrada nesta quarta-feira (15), por agentes da Polícia Federal, que investiga os irmãos Ciro e Cid Gomes, por supostos desvios nas obras da Arena Castelão, na Capital do Ceará, entre os anos de 2010 e 2013, um afto chama a atenção para uma empresa de São Luís, que teve os portões arrombados pela PF, na primeiras horas da desta manhã.

A Operação Colosseum, que foi autorizada pela 32ª Vara da Justiça Federal do Ceará, expediu 14 mandados de busca e apreensão contra alvos em Fortaleza, Meruoca e Juazeiro do Norte, no Ceará, e em São Paulo e Belo Horizonte e São Luís.

Segundo os investigadores, as fraudes ocorreram entre 2010 e 2013, anos em que o estado era governado por Cid Gomes. Haveria indícios de pagamentos de R$ 11 milhões em propinas diretamente em dinheiro ou disfarçadas de doações eleitorais, com emissões de notas fiscais fraudulentas por empresas fantasmas, para beneficiar a empresa Galvão Engenharia no processo licitatório da Arena Castelão.

A polícia Federal deve apresentar em coletiva de imprensa os resultados da Operação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar
Publicidade

Publicidade

Arquivos