Parabéns, Flávio Dino! Sob comando de Dino, Maranhão se torna o mais miserável do Brasil, aponta IBGE

Novos indicadores apresentados pelo IBGE,  avaliaram as condições de vida dos brasileiros nos 27 estados da Federação. Em todos eles, o Maranhão apresenta os piores resultados

De dentro do Palácio, Flávio Dino tenta apontar o caminho para o Maranhão e não leva a lugar nenhum

O estado do Maranhão, sob o comando do governador Flávio Dino (PSB) é o estado com a MAIOR PERDA de qualidade de vida e o PIOR em desempenho socioeconômico do Brasil. É o que apontam novos indicadores apresentados na última sexta-feira (26), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), este é mais um estudo que aponta a desgraça na qual o estado se encontra, antes, o próprio instituto já havia apresentado que o Maranhão é, dentre as 27 unidades da Federação, o que tem maior número de Pobres, Miseráveis e em Extrema Pobreza.

Neste novo levantamento, o IBGE apresentou pela primeira vez um índice multidimensional para a perda de qualidade de vida (IPQV), além de um segundo índice que mede o desempenho socioeconômico (IDS), em ambos, o Maranhão, com (0,260) é o pior com larga vantagem sobre o penúltimo colocado, que o estado do Pará, com (0,244).

Estes novos indicadores seguem recomendações das Nações Unidas e utiliza uma série de variáveis da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018. Os valores do IPQV vão de 0 a 1, sendo que, quanto mais perto de zero, menor a perda.

O Índice de Perda de Qualidade de Vida (IPQV) no Brasil era de 0,158 entre 2017 e 2018. Na área rural (IPQV de 0,246), a perda era 1,5 vez maior do que a média nacional e 1,7 vez maior que na área urbana (IPQV de 0,143). Cerca de 15% dos brasileiros viviam em área rural e essa parcela da população contribuiu com quase um quarto do valor do IPQV Brasil.

As regiões Sul (0,115) e Sudeste (0,127) tiveram um IPQV melhor que o nacional. Já Norte (0,225) e Nordeste (0,209) mostraram índices piores.

Veja abaixo, o quadro com todos os índices dos 27 estados da Federação

Maranhão (4,897) e Pará (5,099), mesmo com a utilização da segunda medida da RDFPC, tiveram os menores resultados. O gráfico a seguir apresenta os valores do IDS de cada unidade da Federação em ordem crescente assim como o valor do IDS do Brasil. Pode-se observar que a adoção do ln(RDFPC) altera o ranqueamento das unidades da Federação, pois o IDS passa a dar menos importância para a renda. Por exemplo, o IDS de Santa Catarina ultrapassa o IDS do Rio Grande do Sul, indicando maior progresso socioeconômico em Santa Catarina, apesar de apresentar menor renda do que o estado vizinho.

9 Responses

  1. Não podia ser outro resultado, o Estado Governado por um Comunista, tendo como um índice de cobertura da vacinação
    contra a COVID 19 é de 46,67% superando somente o Estado do Acre, isso é uma vergonha pra nós maranhenses!!!

  2. Fruto de uma gestãopreocupada em fazer picuinhas e falar de presidente ao invés de fazer a parte dele sem se preocupar com porra de eleição…
    Se ele se preocupasse com o Maranhão o tanto que ele se preocupa com o presidente ou com as eleições o Maranhão estaria em uma situação melhor

  3. Falta de políticas públicas para atender a população mais carente do estado. Antes de assumir já sabia como estava o IDH no Maranhão, saneamento básico, estradas, energia, agua potável, atendimento médico e social ficaram pra trás do asfalto doado a prefeitos para ganhar eleição. Seus deputados federais e senadores votaram contra o Marco do Saneamento Básico q felizmente sem esses votos foi aprovado.
    O ATUAL GOVERNO SE PREOCUPOU EM ARRECADAR MAIS E GASTAR MENOS.
    Esse é o Maranhão q está no último lugar do levantamento do IBGE.
    Eng° civil Tairon Teixeira
    CREA 0462/D – MA

  4. Maioria dos gastos público do governo do Maranhão é corrupção geral nós órgãos públicos, publicidade vazias em todos os canais de comunicações e mentiras e por vai etc etc.

  5. Esse governador foi um desastre para o Maranhão. Acredito que tenha sido a pior administração de já passou pelo Leões. E ainda é debochadinho!

  6. De tempos em tempos, o povo do Maranhão consegue colocar uma pessoa diferente no governo, na esperança de nova mentalidade, novas ideias, que possa tirar o estado dessa situação, mas continua na mesma. Esse governador fez um dos piores governos que o Maranhão já teve, dedicou todo o mandato pra brigar com o governo federal, e esqueceu de governar. Vamos continuar tentando.

  7. … a despeito de o artigo ser de um provável opositor ao Governador Flavio Dino, (basta atentar aos destaques efetuados no texto e aa falta de ênfase de que “Neste novo levantamento, o IBGE apresentou pela primeira vez um índice multidimensional para a perda de qualidade de vida (IPQV))”, trata-se de um dado estatístico, proveniente de uma fonte confiável que, certamente, servirá de parâmetro de estudos e ação pelos governos dos estados avaliados. Pessoalmente (não sou eleitor do Flavio Dino) não reputo ao atual governo do Maranhão a responsabilidade pelos resultados apontados pela pesquisa vez que faltam elementos hábeis aa comparação entre o antes e o agora (lembro que trata-se da primeira vez que este índice eh calculado). Convém lembrar que anteriormente aa gestão Flavio Dino, o estado do Maranhão figurava como penúltimo estado brasileiro no indicador de Desenvolvimento Humano, condição que sustenta minha posição de que este resultado não pode ser atribuído ao governo local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar
Publicidade

Publicidade

Arquivos