Encontre-nos nas redes sociais

Notícias

Vale massacra comunidades no entorno do Porto do Itaqui

Companhia Vale “amassa” comunidades tradicionais na área do Porto do Itaqui

Rios do entorno do Porto da Vale foram todos afetados pela ocupação da companhia

A comunidade do Itaqui Bacanga sofre com inúmeras falta de infraestrutura, educação e saúde, mesmo a região sendo a que mais contribui com a arrecadação estadual e municipal, ante aos empreendimentos predadores da Companhia Vale.

Na região do entorno, a comunidade que mais sofre descaso e abusos é o Fumacê, que fica localizado próximo à pelotização da mineradora, a comunidade sofre há anos, desde a década de 80, com a amassamento de suas áreas tradicionais, onde muitos sobreviviam da extração de subsistência de mariscos e pescados.

Os rios do entorno foram todos assoreados, poluídos, contaminados e com as fortes chuvas, os alagamentos tem sido um transtorno para moradores que vivem há cerca de 70 anos na região. As inúmeras terraplanagens, construções e barragens realizadas pela Vale, levam todo carreamento de sedimentos, resíduos, para os rios. Os bueiros, boca de lobo e pontes construídos pela própria comunidade, não aguentam a vasão d’água e destroem o pouco que os moradores da comunidade lutam há anos para construir.

A associação beneficente do Bairro Fumacê está ingressando na justiça federal contra a Companhia Vale, para que os  impactos ambientais causados aos rios da região sejam mitigados, e assim, sejam desassoreados, descontaminados e despoluídos, evitando os desabamentos de casas e destruições de bens, e que as famílias sejam indenizadas.

A prefeitura de São Luís, apenas no ano de 2019, recebeu R$ 58.915, 797,55 (Cinquenta e Oito Milhões e Novecentos e Quinze Mil Reais), da Cota parte de municípios afetados pela estrada de ferro da Vale, e mais distribuição mensal que somaram ao longo do ano, R$ 133.220,13 (Cento e Trinta e Três Mil, Duzentos e Vinte Mil Reais).

Neste ano de 2020, os repasses continuaram caindo na conta da prefeitura de São Luís, até agora, já foram repassados via cota CFEM, R$ 18.907.285,40 (Dezoito Milhões, Novecentos e Sete Mil Reais), de um total previsto de R$ 41 Milhões. Com mais distribuição mensal, que já foram repassados a São Luís, apenas nos 5 primeiros meses, R$ 55.311,29 (Cinquenta e Cinco Mil, Trezentos e Dezenove Reais).

Os dados foram obtidos pelo Site Observatório na Agência Nacional de Mineração – ANM. Os recursos são da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais – CFEM. Enquanto isso, a comunidade do Fumacê, que lute!

Copyright © 2020 - Observatório da Blogosfera - Todos os Direitos Reservados.